Passo a passo para organizar as finanças pessoais

Ter o controle das finanças pessoais é uma atitude que vai além de estar no azul ou no vermelho. Saber para onde vai seu dinheiro, dimensionar os gastos e fazer uma poupança são práticas que evitam stress, facilitam suas escolhas e ajudam a realizar sonhos. Confira, a seguir, sugestões do economista da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, para aqueles que pretendem ajustar as finanças.

  1. Conheça sua realidade
    Separe um horário da semana para organizar suas finanças, verificando alguns pontos relevantes: saldo bancário, rendimentos mensais e dívidas em aberto. Estar por dentro da movimentação do seu patrimônio é imprescindível para quem deseja se organizar. Utilize todas as informações disponíveis, como notas fiscais ou extrato bancário.
     
  2. Escolha a melhor forma de registrar esses dados
    Não importa como pretende se organizar. Pode ser com anotações em um caderno, planilhas eletrônicas ou aplicativos em smartphones com acompanhamento em tempo real. O importante é ter a disciplina para registrar todos os movimentos.
     
  3. Categorize as informações que registrar
    Classifique seus gastos em fixos e variáveis. Categorize as despesas em habitação, higiene pessoal, saúde, lazer, entre outras. Essa divisão permite saber para onde seu dinheiro está de fato indo, possibilitando a adoção de medidas pontuais.

  4. Acompanhe os registros periodicamente
    Dada a dinâmica das informações e dos gastos, o ideal é que se acompanhe o registro diariamente. Se a tarefa for inviável, separe alguns minutos da semana para estudar seu orçamento. Ao longo do tempo, isso deixará de ser algo penoso e se tornará um hábito.

 

Ferramentas para automatizar o controle de suas finanças pessoais


Aplicativos

Os aplicativos para smartphones permitem anotar os gastos e dividi-los em categorias. Há opções para se conectar diretamente à conta bancária e realizar um diagnóstico do comportamento de consumo, categorizando automaticamente os gastos. Veja alguns exemplos:

• GuiaBolso: Nesse aplicativo você insere dados do internet banking e todos os gastos realizados por meio da sua conta são listados e categorizados. Prático e gratuito.

• DailyCost: Basta digitar o valor gasto e selecionar a categoria correspondente. Ele registra e exibe, a partir de gráficos, a situação financeira do consumidor.

• Minhas Economias: Permite login pelo Facebook e visualização por categorias (receitas, despesas e transferências). Além disso, possui um gerenciador de metas e sonhos.


Planilhas
Existem inúmeras planilhas na rede para controle de orçamento. Cada uma possui um diferencial, mas a escolha vai depender do seu objetivo. Para quem não quer perder tempo com recursos sofisticados e busca algo mais objetivo, a planilha disponibilizada pela Bolsa de Valores BM&FBovespa é uma ótima opção.

Como sair do vermelho

Organize-se: O primeiro passo é organizar a vida financeira. Saber detalhadamente onde gasta seu dinheiro permite a adoção de medidas assertivas. Se você ainda não possui esse hábito, é bem provável que esteja inadimplente. Passe a controlar seus gastos cortando aquilo que é supérfluo. Sair do vermelho exige uma nova postura.

Negocie suas dívidas: Faça um diagnóstico da sua renda e elabore propostas para quitar as dívidas em aberto. Elabore cenários contemplando as possibilidades de pagamento e prazo para vislumbrar quanto terá disponível por mês para saldar esses valores. Com as possibilidades em mãos, entre em contato com os credores para quitação dos débitos. Em muitos casos, a redução dos encargos e custos das dívidas são bastante relevantes.

Caso você possua muitas dívidas, priorize o pagamento daquelas onde o custo da dívida é maior, isto é, onde a taxa de juros incidentes na operação é maior, como no cheque especial e cartão de crédito. Se for preciso, capte um empréstimo pessoal, no qual a taxa de juros é mais baixa, para quitar uma dívida de cartão de crédito, por exemplo.

Controle-se: Feita a negociação, cumpra com a proposta realizada. Com os débitos negociados e os gastos controlados, é importante seguir com o planejamento orçamentário para não se tornar inadimplente novamente. Esse controle irá afetar positivamente a saúde financeira familiar. Nesse tópico, a constituição de uma reserva de emergência – numa poupança, por exemplo – e a realização de investimentos, sejam eles em renda fixa ou variável, garantem certa tranquilidade na vida financeira familiar.

 

Faça seus cálculos online!
Confira as ferramentas da Fecomércio MG que podem auxiliar no controle financeiro.

 

 

 

Posts Relacionados

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •