Pronto para arrasar na redação do Enem?

Ritmo de estudo acelerado, foco na matéria, leitura constante e muito treino fazem parte da vida de quem se prepara para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que avalia o desempenho do estudante e proporciona o acesso à educação superior. O exame é composto por 180 questões de múltipla escolha e uma redação, elemento-chave de composição da nota final e vista como um desafio para muitos participantes.

Segundo o instrutor de formação profissional do Senac em Minas, Eliéverton Santos, a elaboração do texto dissertativo-argumentativo é muito importante, pois, a partir dele, é possível perceber se o candidato está realmente preparado para articular os conhecimentos adquiridos ao longo da formação. “A redação é a única prova que pode ser zerada e a única que vale mil. Quanto maior a nota do candidato nessa prova, maior será sua nota final”, explica.

Para auxiliar os interessados em investir nessa jornada do desenvolvimento pessoal e futuramente aproveitar as oportunidades do mercado, confira 5 dicas infalíveis para arrasar na redação do Enem.

 

1 – Busque fontes diversas de informações.
Ler jornais, revistas, sites de notícias e acompanhar páginas de veículos de informação conceituados é fundamental para se ter um conhecimento amplo das questões sociais, políticas e econômicas discutidas nos últimos tempos. Além do mais, o hábito da leitura facilita o processo da escrita.

2 – Construa um texto dissertativo-argumentativo.
Atentar-se à tipologia do texto dissertativo-argumentativo, bem como ao tema e à defesa da tese, é imprescindível. A finalidade desse tipo de texto é defender um ponto de vista utilizando argumentos. Para isso, é necessário treino! Coloque suas ideias no papel, apresente os tópicos de defesa e tente fazer com que o leitor acredite neles.

3 – Nunca fuja do tema proposto.
É essencial delimitar o tema da redação. A argumentação deve ser feita de forma clara, citando vantagens e desvantagens, prós e contras e estabelecendo propostas que solucionem o problema. O candidato não deve apresentar argumentos que firam os direitos humanos, como posicionamento preconceituoso, por exemplo. Essa postura pode zerar a nota da redação.

4 – Articule conhecimentos adquiridos ao longo de sua formação.
Na hora da prova, utilize seu repertório de conhecimentos gerais e informações de áreas como ciências humanas, ciências da natureza, entre outras, analisando diferentes pontos de vista e propondo novas ideias para a atividade apresentada. Isso pode agregar pontos consideráveis à sua nota.

5 – Cronometre o tempo de prova.
No primeiro dia de exame, serão aplicadas as provas de Linguagens e Códigos, Redação e Ciências Humanas, com duração de 5h30. É fundamental que, desse tempo, seja reservada 1 hora para o desenvolvimento da redação e 30 minutos para o preenchimento do gabarito. Agindo assim, restarão 4 horas para responder às 90 questões objetivas.


Técnicas para escrita: tome nota!
Ainda de acordo com Eliéverton, todo bom escritor de textos deve, acima de tudo, ser um bom leitor. Para o professor, o contato com as disciplinas, os treinamentos e as associações do conteúdo podem ser utilizados a favor do candidato durante a prova. Assim, para quem deseja escrever uma redação nota mil, é preciso:

Treinar a capacidade de ler e interpretar textos verbais e não verbais. Aprender a estruturar o texto: selecionar, organizar e relacionar as ideias. Ter amplo conhecimento sobre a situação social, política e econômica atual. Citar fatos e informações sólidas e eficazes. Não ter medo de escrever. Reler sempre o que foi escrito.

 

Fique ligado!

Na semana anterior à prova (no mínimo): programe-se para chegar ao local de aplicação com uma hora de antecedência. Considere que o trânsito pode estar complicado na cidade e lembre-se: os portões são fechados às 13h (horário de Brasília), sem tolerância para os retardatários.

Na noite antes do exame: é essencial ter um sono tranquilo, de pelo menos 8 horas, e ingerir alimentos leves e nutritivos. Não é recomendado passar a noite revendo a matéria.

O que levar no dia do Enem: Carteira de identidade, caneta esferográfica preta, feita de material transparente; água e pequenos lanches, como barras de cereais e chocolates. Use roupas confortáveis (não são permitidos: relógios, mesmo que analógicos, celulares, alarmes de carros ou outros equipamentos eletrônicos).

Durante a realização da prova: Confira seu caderno de provas, mantenha a tranquilidade e organize o tempo. Nunca deixe questões em branco no gabarito.

Para quem ainda não viu
Com o objetivo de auxiliar o candidato, o Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) aprimoraram a Cartilha do Participante, material que oferece transparência à metodologia de avaliação da redação e o que é esperado do candidato. Além disso, a cartilha apresenta redações que obtiveram pontuação máxima no Enem 2016, com exemplos que contemplaram todos os critérios máximos de correção pelos diferentes corretores. Vale a pena conferir!

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  • 19
  •